A MATEMÁTICA ESTÁ EM TUDO! SNCT 2017 (Semana Nacional de Ciência e Tecnologia)
Qui, 04 de Janeiro de 2018 07:49

ESCOLA LUIZ CESAR DE SIQUEIRA MELO:

Projeto:

A MATEMÁTICA ESTÁ EM TUDO! SNCT 2017 (Semana Nacional de Ciência e Tecnologia)

Autores:

Alessandro Romeiro de Jesus
Elias Alves de Souza
Ester Gomes Ferreira
Martin Gerardo Caeiro
Sirlei Vicente Ferreira Carneiro

Goianésia-GO, 2017

INTRODUÇÃO

As Ciências Naturais, assim como a Matemática, são disciplinas que ao longo de muito tempo representam desafios grandiosos para o sistema educacional brasileiro e, por não alcançarem a excelência em seus procedimentos, deixa o país em uma situação de atraso no que se refere ao desenvolvimento nacional nos campos social, tecnológico e produtivo (aqui, deve-se fazer uma importante ressalva para o setor agrícola, que graças aos núcleos de pesquisas, públicos e privados, tem tornado o Brasil uma referência no desenvolvimento de tecnologias para otimização da produção, porém com alguns gargalos justamente por falta de capital humano qualificado e desenvolvimento de tecnologias em setores de suporte). Nos últimos anos, as avaliações internacionais e as nacionais de desempenho acadêmico, tanto do Ensino Médio quanto do Ensino Fundamental, estão enfatizando e mensurando esse baixíssimo desenvolvimento nestas duas áreas acadêmicas. O mais importante exame educacional do mundo – elaborado e aplicado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – chamado de Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes (PISA, na sigla em inglês) já chama atenção para esse problema à mais de quinze anos, e, mesmo demonstrando melhoria em notas, o desempenho, se comparado às outros países avaliados, continua deixando o nosso país nas últimas colocações. Em 2015, por exemplo, o país sofreu uma queda tão significativa em suas notas, nas duas áreas, que nos fez voltar ao ano de 2008. E dos 70 países que participam da prova o Brasil ficou com a 66ª colocação em Matemática e 63ª colocação em Ciências.

o brasil no pisa

 

o brasil no pisa - 2

As avaliações nacionais internas também refletem fragilidades no processo de ensino aprendizagem destas disciplinas e entram em ressonância com as avaliações internacionais. Segundo, Kuppermann (1994), No mundo desenvolvido, alguns afirmam que a quantidade de conhecimento científico já disponível é mais que o suficiente para resolver os problemas que a sociedade enfrenta. Como resultado, quase todos os recursos disponíveis para Ciência;Tecnologia devem ser alocados na aplicação daquele conhecimento, objetivando a melhoria da sociedade, ou seja, investimento em Tecnologia (ou), menos que em C. O argumento é falho sob dois aspectos importantes. Primeiro, a suposição de que já possuímos suficiente conhecimento básico poderia bem ter sido feita três ou quatro décadas atrás. Ainda assim, as descobertas feitas desde então pela ciência básica em biologia molecular e em física do estado sólido levaram a aplicações que afetam dramaticamente toda a sociedade, tanto no mundo desenvolvido como no em desenvolvimento. A verdade é que não temos como saber ao que levarão novos conhecimentos e, assim, é do maior interesse, para o mundo desenvolvido, continuar com seus investimentos em C. Em segundo lugar, corte ou diminuição significativa dos investimentos em C pelo mundo desenvolvido vão de encontro à curiosidade humana, de que já falamos anteriormente. Se o mundo desenvolvido cortar esses investimentos, o que devemos esperar para o futuro da humanidade? O efeito total pode ser uma queda significativa de seu desenvolvimento como espécie inteligente.
Nas situações apresentadas, é fundamental que sejam realmente concentrados recursos e esforços no desenvolvimento científico e tecnológico e, neste sentido, são fundamentais os estímulos para o desenvolvimento e a identificação precoce de pessoas com habilidades mais apuradas para o trabalho com estes dois setores do conhecimento humano.

JUSTIFICATIVA

As novas gerações de educadores e dirigentes educacionais precisam reconhecer que as limitações sociais, política, econômicas e tecnológicas do país são frutos de uma aprendizagem, social e acadêmica, que possuem lacunas que necessitam de reparos. O fato de observar problemas de má distribuição de renda e de escassez de alimentos pelo mundo são temas normalmente abordados em disciplinas como Geografia e História, mas que precisam ser analisados com um olhar mais atento e cuidadoso, uma vez que são consequências de algum fator e não somente geradores de problemas. Segundo apresenta Krasilchik (1996), a concretização do aprendizado se tornará mais fácil a medida que as experiências educativas se assemelharem às futuras situações que os alunos deverão aplicar seu conhecimento.Logo, percebe-se que a materialização de conceitos teóricos precisa ser cobrado do aluno, desafiando a sair de um estado empírico para um estágio de autoria, apropriação e materialização, principalmente se esta algo implicar em mudanças que promovam a melhoria de vida das pessoas.

OBJETIVOS

a) Geral

Fomentar o desenvolvimento da visão científica com foco na busca por soluções para os problemas cotidianos das pessoas, por meio de atitudes e visões empática, humanas e fraternas;

b) Específico

Construir laços cognitivos que possibilitarão uma visão holística do conhecimento humano, levando-o a encontrar respostas para questionamentos em diferentes áreas do conhecimento; Desenvolver trabalhos de cunho científico, logo, obedecendo a proposta do método científico, levando-os a perceberem a importância desse rigor na construção da ciência humana. Divulgar o trabalho desenvolvido por professores e alunos ao longo de 4 meses e que tinha como tema principal "A matemática está em tudo"; Estimular a empatia, localizando dificuldades que as outras pessoas passam e que podem ser solucionadas a partir de ações, ou intervenções, simples; Levantar questionamentos que poderiam ter sido melhor desenvolvidos, ou que poderão ser trabalhados em momento futuro; Popularizar a ciência como algo acessível, próximo e, principalmente, necessário ao núcleo de conhecimentos gerais que todo o cidadão necessita possuir;

METODOLOGIA

Os produtos de uma mostra científica necessitam de um trabalho prévio de pesquisa, investigação e experimentação que leva no mínimo 4 meses, neste sentido os produtos que serão apresentados precisam de uma orientação e uma diretriz mais geral que possa criar um mostra temática que extraia o máximo desse tema. Assim, como o evento será realizado durante a Semana Nacional de Ciências e Tecnologia, a sua temática nacional, que muda ano a ano, será a diretriz que orientará a temática da maior parte dos trabalhos desta mostra. Todas as séries, do primeiro ao nono ano do Ensino Fundamental da Escola Luiz César de Siqueira Melo, apresentarão trabalhos sobre a temática "A matemática está em tudo", de forma que, sob coordenação do professor(a) responsável pela turma e com auxílio pedagógico dos professores de matemática e ciências da instituição, possam desenvolver trabalhos que atendam o mais à temática proposta. Os critérios de avaliação dos trabalhos apresentados serão melhor tratados no edital que segue anexo e que servirão de parâmetro aos alunos e professores sobre o que se espera dos trabalhos.

BIBLIOGRAFIA

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra; 2011;
KRASILCHIK, Myriam. Caminhos do Ensino de Ciências no Brasil.Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/1851/1822. Acessado em: 11 de outubro de 2017;
KUPPERMANN, Aron. Investimentos em Ciências e Tecnologia. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141994000100005. Acessado em: 10 de outubro de 2017;

 

 

Avisos

 - ATENÇÃO - 

Início das aulas no dia 1º de agosto (Quarta-feira).
Os ônibus passarão nos mesmos locais e horários.
Aguardamos por vocês!

logo-jalles-machado

logo-grupo-lage

Rua 35, 600 Primavera I – Goianésia -GO

fjm@fjm.org.br

(62) 3353-2005   (62) 3353-3510

Fale conosco >>

apice-tecnologia